domingo, 22 de janeiro de 2012

Uma carta para o tempo



Caro tempo,

Eu sei que tem estado muito apressado, anda correndo tanto que as horas estão confusas 24 parecem 5, uma semana passa tão rápido que eu já não sei que dia é hoje.
Sei que você faz um esforço para ir o mais rápido possível, mas sabe, bem que você podia relaxar um pouco e diminuir o ritmo.

Tenho feito de tudo pra que você renda, passei até a acordar cedinho acredita?
Dividindo em mil partes cada minuto do dia, até planejo minhas tardes, mas a madrugada chega rápido demais.
Faço horas extras e durmo menos para aproveitar nem que sejam mais cinco minutinhos,
mas será que as minhas horas extras contam?

Horas extras ou não, correndo ou não, eu ando feliz!
Aprendi a deixar o acaso me guiar e estou descrente em destino,
mantendo no rosto aquele sorriso largo que quase me fecha os olhos, tentando ver o lado bom de tudo por mais que seja difícil, por isso eu preciso que vá devagar, para que eu possa aproveitar.

Então é isso, vai devagarzinho que lá na frente a gente se encontra.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Sem visibilidade





A estrada a cada dia fica mais interessante, me deparo com inúmeras curvas onde não há nenhuma visibilidade do que vem pela frente.
E no meio destas está um mar de gente, pessoas que atravessam o meu caminho, indo e vindo, dando a mão enquanto outros se perdem pelos retornos da estrada.

Esse ano já começou com uma reviravolta gigantesca que honestamente mudou muito do que eu pensava e acreditava, do que eu queria e conseguia aceitar, foi difícil, mas me vi com um sorriso tão largo agora a pouco no espelho que aquela certeza que está valendo a pena se instalou completamente em mim.

Muitas pessoas me mostraram que estarão comigo por muito tempo, mostraram que podemos ser bem diferentes e mesmo assim nas melhores e piores horas vão continuar a me dar colo e afagos.
Algumas pessoas se despediram, soltaram a minha mão em algum pedaço da curva e se foram com uma promessa de talvez em um amanhã não tão próximo voltarem pra ver como estão às coisas.

E quando a curva fica fechada demais, quando me pego descrente, ali na frente acaba se revelando uma paisagem tão linda, com tantas coisas boas, tanta gente, tanto amor, tanto sorriso.
Então que continue assim, que as minhas madrugadas sejam repletas dos mesmos sabores que hoje me fazem bem, que a estrada continue com pouca ou nenhuma visibilidade e que esse sorriso que tenho no rosto perdure. 

domingo, 8 de janeiro de 2012

Pés no chão - ou quase isso -








Repito para mim mesma: "põe os pés no chão" para com essa mania de viver nas nuvens, tem muita coisa lá em baixo que precisa ser pensada, planejada, feita.
Tento inutilmente me passar um sermão por ser tão distraída, acabo me perdendo com algumas palavras, deixando a imaginação tomar conta e me levar para aquele mundo que ultimamente ando mais lá do que por aqui.
Tento planejar o futuro, mas eu mudo tanto de idéia que poderia criar diversas realidades paralelas, tento me concentrar em um artigo sobre enfermagem e me perco vendo um de veterinária.
Estou sempre indecisa, quando tenho muitas opções quase entro em pânico, não importa o quão simples sejam, lugares, roupas, horários, cores. Por querer dar meu melhor, por querer que tudo saia perfeito tenho receio de escolher sem pensar várias vezes.
Deve ser por isso que viver nas nuvens é tão atraente, eu posso tirar uma folga de querer ser uma pessoa quase perfeita, aliviar da cobrança interna, esquecer que lá em baixo tem mil e uma coisas que precisam de mim. 
O difícil é colocar os pés no chão, resistir a preguiça de tanta coisa que tenho, sei que ainda vou visitar muito às nuvens, mesmo que seja por 5 minutos diários. 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Relembrando alguns valores





Você sabe onde o seu coração está? Sabe exatamente o que tem dentro dele? Talvez já o tenha trocado por qualquer barganha, talvez precise renovar o que está perdido por ali.
Quando as coisas fogem do controle e você se sente tentando segurar o vento com as mãos, quando você quer e não pode, quando você tenta e sente o fracasso se aproximar, quando chorar já se tornou banal.
A filosofia do não desistir parece sempre resistir dentro do peito, então anda menina, levanta e sacode a poeira, o joelho ralado ainda vai arder, mas está tudo bem a recuperação é assim mesmo com o tempo vai ficar tudo bem, como se estivesse quase novo.
Talvez carregue uma cicatriz ou outra, mas toda vez que vê-la vai lembrar do quanto foi preciso ser forte, do quanto você é capaz, de que você vai ficar bem não importa a tempestade.
Então fica de olho nesse coração mantém ele dentro do peito, não deixa nada se aproveitar, não deixe nada de mal chegar perto, perceba que você vai cair, vai doer e terá dúvidas sobre o valor que têm, mas ainda assim é o bem mais valioso que você possui.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Renovando esperanças




Já me disseram que meu sorriso vicia, já olharam nos meus olhos tentando decifrar o que eu estava pensando, já me deram colo e ombro pra chorar, já prometeram mundos e fundos e eu nunca hesitei em ir embora.

Senti culpa quando revi as vezes em que meu dedo se viu preso em uma aliança prata, medo que eu tivesse errado em aposentar os mesmos, receio de ter feito escolhas trocadas e quis sentar perto da janela e ver a chuva cair lá fora.

Vi a chuva cair e as gotas que escorriam pela janela me faziam lembrar de momentos bobos, até mesmo infantis, o aperto no peito diminuía lentamente, até que revi promessas, traições, juras, desgastes, sorrisos, dores, choros e desamores se amontoarem.

Acho que mesmo que tenha um tom egoísta, mesmo que possa parecer que me importei mais comigo, consigo ver que todos foram úteis de alguma forma, vi no final que os que passaram pela minha vida me ajudaram a crescer de certa forma, me deram pezinho para o degrau acima.

O que me surpreendeu é que no fim da linha de pensamento eu vi você, esse que sempre está por perto de alguma forma, que me faz sorrir sem muito esforço, que me conta coisas bobas e eu fico toda animada, esse que me faz ter orgulho várias vezes.

E percebi que te quero bem, mas principalmente que te quero do meu lado.